sábado, 22 de novembro de 2014

LANÇAMENTO EDITORA FORMATO: "CADÊ A ÁGUA DO MESTRE ALEIJADINHO?" DE FERNANDO A.PIRES

                     SITE DA EDITORA: www.editorasaraiva.com.br  (SELO FORMATO)


INDICAÇÃO: a partir de 8 anos (leitor em processo)

40 PÁGINAS

Há 200 anos atrás, morria Antônio Francisco Lisboa, o  Aleijadinho (1738-1814). Em
homenagem, a editora Saraiva (selo Formato) está lançando o livro "CADÊ A ÁGUA
DO MESTRE ALEIJADINHO?", com texto e ilustrações de FERNANDO A. PIRES.

Arquiteto,  entalhador  e   escultor  do   Brasil  Colonial,   Aleijadinho  -  um  dos  mais 
importantes  nomes  da arte barroca brasileira - deixou como legado obras  religiosas,
que ornam igrejas de várias cidades brasileiras.

Uma  das obras que  mais se  destaca  é o conjunto do  Santuário  do  Bom  Jesus do
Matosinhos,  na  cidade  de Congonhas, em  Minas  Gerais. Lá  estão os 12  profetas
esculpidos em pedra-sabão e os passos da Paixão de Cristo. Em 1985, este conjunto
foi elevado, pela Unesco, a Patrimônio Cultural da Humanidade.

Isaías, Jeremias, Baruch, Ezequiel, Daniel, Oséias, Jonas, Joel, Amós, Naum, Abdias
Habacuc são os doze  profetas  retratados por  Aleijadinho. Estas  esculturas  estão 
colocadas na escadaria, no adro do Santuário do Bom Jesus do Matosinhos.

É neste cenário que a história do livro CADÊ A ÁGUA DO MESTRE ALEIJADINHO? 
acontece. O autor tece  os fios  que entrelaçam  as histórias do mestre Aleijadinho e
do menino José Filismino (personagem fictício), que recebe  a incumbência de levar
água para o mestre.

O menino José  Filismino não conhece o mestre e também, não sabe como chegar até
ele. Na escadaria do Santuário do  Bom  Jesus do Matosinhos,  encontra as esculturas 
dos  doze  profetas. Elas  são  tão  perfeitas  que  o menino pensa que são pessoas de
verdade. Por não saber que "aquelas pessoas paradas" são esculturas, João  Filismino
se dirige a elas, pede  informações, fica  reparando em todos os detalhes e imaginando
mil coisas...É o olhar do menino que conduz a história. Assim, o tempo passa... E cadê
o menino? Cadê a água do mestre Aleijadinho?- diz o título do livro.

LEIA UM TRECHO:


                         "O menino levou  um  susto quando subiu  o primeiro lance de
                         escada. Um  homem  barbado atrás de uns  toldos o encarava!
                         Era uma escultura, mas o menino parecia não saber.
                        
                         - O senhor é o mestre Antônio Francisco? Eu trouxe água...

                         Como a estátua não respondia, o menino  permaneceu parado,
                         olhando para ela assustado. Esse homem tinha uma cara séria
                         e apontava para um letreiro.

                         -----------------------------------------------------------------------------------------

                         O menino subiu alguns degraus e encontrou o terceiro homem.
                         E já foi falando:

                         - Você não é o mestre Antônio Francisco. né?

                         Esse  homem também  tinha uma  barba engraçada  e era  bem
                         cabeludo. Parecia estar com pressa, porque estava com o dedo
                         apontando para as escadas. O menino entendeu que era  para
                         ele subir logo.

                         O menino não perdeu mais tempo e subiu correndo a escadaria.

                         Viu outro homem com o braço esticado para cima. 

                         Com  certeza  ele estava  querendo que  o menino continuasse
                         subindo.

                         "Esse mestre Antônio Francisco deve ser uma pessoa importante
                         pra ter tantos empregados", pensou o menino."
                     

ILUSTRAÇÕES:

                                             CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA


                                             CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA

AUTOR / ILUSTRADOR:


2 comentários:

Fernando A. Pires disse...

Cristina!
Muito obrigado pela postagem! Como sempre, muito completa e bem feita! A seriedade com que você encara a difícil tarefa de divulgar a literatura infantil me renova de energia pra continuar a produzir. Sei que o mestre Aleijadinho também deve estar agradecendo.

Beijos,
Fernando

Cristina Sá disse...

Olá! Fernando,
Que bom!
Vou ficar aguardando novos livros!!!
beijo
Cristina