terça-feira, 22 de janeiro de 2019

LANÇAMENTO DA EDITORA INVERSO: SEGREDOS DE UMA VIDA NO MUSEU - TEXTO DE ANA RAPHA NUNES e ILUSTRAÇÕES DE LOGAN PORTELA


                                            DÊ LIVROS DE PRESENTE!

                              SITE DA EDITORA: https://www.editorainverso.com.br


No livro infantojuvenil  SEGREDOS DE UMA VIDA NO  MUSEU, a escritora  ANA RAPHA NUNES desenvolve uma narrativa repleta de reflexões sobre a  tragédia ocorrida no prédio do Museu Nacional, na madrugada do dia 3 de setembro de 2018. 

=====================================================================
Você, leitor, lembra deste fato? Não lembra bem? Então, releia  as notícias  publicadas  na
época:

 NOTÍCIA BBC NEWS - 3 de setembro de 2018
O Museu Nacional do Rio de Janeiro foi parcialmente destruído por um incêndio  na noite
deste domingo. Localizado na  Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, o local  abriga um
dos  maiores  acervos  de  antropologia e  história natural  do país, é mais  antigo  museu
uma das instituições científicas mais importantes do Brasil. Fundado  por  Dom João VI, 
no dia 6  de  agosto  de 1818, o  museu acabou de completar  200 anos. Atualmente, era administrado  pela  Universidade  Federal  do  Rio  de  Janeiro  (UFRJ). Muitas  peças do 
acervo de 20 milhões de itens são exemplares únicos -  de  esqueletos de  dinossauros a
múmias egípcias, passando por milhares de utensílios produzidos por civilizações antigas.

NOTÍCIA do G1 04/09/ 2018 - 08h18
Um incêndio de grandes proporções destruiu o Museu  Nacional, na  Zona  Norte do Rio, entre a
noite de domingo e a manhã  desta  segunda-feira (3). Maior museu de história natural do  Brasil,
o  local tinha um acervo de 20 milhões de itens, como fósseis, múmias, peças indígenas e  livros
raros.
=========================================================================


Foi a partir das notícias do ocorrido e do olhar do personagem Bendegó, um meteoro, que
morava no museu  atingido pelas chamas, que a autora  construiu a  sua narrativa. Ele é o
personagem principal desta trama, que aborda desde a sua chegada, em terras brasileiras,
até a sua vida no Museu. Assim, Bendegó percebia o que acontecia à sua volta:


                 "Ah, o museu! Morada de tantos saberes. Era um tesouro aos olhos
                  de todos que ali pisassem. A memória viva de um passado que não
                  volta mais e que ainda assim vive em nós."


Como será que era a vida de Bendegó, meteorito de 5 toneladas, no Museu Nacional? Ele
fazia  parte do precioso acervo com mais de 20 milhões de itens daquele Museu. 

Bendegó  convivia com outros importante amigos: o crânio de Luzia, o fóssil  humano mais
antigo encontrado nas Américas, os fósseis dos dinossauros, todas as múmias...todos eles
faziam parte da sua trajetória no Museu.    

Ao  longo  de  sua  história,  o  meteoro  Bendegó  vivenciou  várias mudanças  e emoções.
Ele mostra, aos leitores deste livro, assinado por ANA RAPHA NUNES, o Museu Nacional
por outra perspectiva e pode fazê-los enxergar coisas que muitos não viram. 

Nesta  história de  encantamentos, Bendegó fará  o leitor desvelar  a  importância do nosso
patrimônio histórico e cultural.


AS ILUSTRAÇÕES: 
                                          CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA


As delicadas ilustrações de LOGAN PORTELA envolvem o leitor na história do Museu
e  fazem com que ele entenda  melhor o que o país perdeu  com o  incêndio do Museu
Nacional.


A  AUTORA / O ILUSTRADOR:



segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

LANÇAMENTO: O LIVRO AZUL - TEXTO DE LILIAN JACOTO E ILUSTRAÇÕES DE ISABELLA LOTUFO (EDIÇÕES SINETE)


DÊ LIVROS DE PRESENTE!


                                   LINK DO FACEBOOK DE ISABELLA LOTUFO:
                             https://www.facebook.com/Escritora-Isabella-Lotufo


INDICAÇÃO: a partir de 10 anos (leitor fluente)


                        “O azul me descortina para o dia.
                   Durmo na beira da cor.”
                  
                                                                 MANOEL  DE BARROS
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~                     
                     Havia só azul

                       azul por toda parte

                       Um azul quente
                       como quando a tarde acorda:

                       azul de fazer alegria

                       como mergulhar na piscina
                       infinitamente 

                       e de um trampolim
                       cada vez mais alto”


O  texto  dO  LIVRO  AZUL,  escrito  por  LILIAN  JACOTO,  rompe, com seus versos,
espalhados  pelas páginas  do livro, com  a  estrutura  tradicional da  forma  poética.
Pode  parecer que  não, mas o  texto da  autora  é um  poema. Ele  celebra a  Beleza,   presente  em  tudo  o que  nos  cerca,  pelo olhar  'azul'.  

O  texto  poético  deste  livro "remete  à meditação  e ao  delírio através de imagens simples" e "explica como  tudo que  nos  rodeia  pode  ser tocado pela Beleza". Em
harmonia  com as ilustrações, texto convida o leitor a  soltar a imaginação. 

A narrativa visual  de ISABELLA  LOTUFO, muito criativa e fora dos  padrões, coloca
ao  alcance  do  leitor  colagens de papéis  com  diferentes  texturas e diversos  tons  
da cor azulAguçar  o olhar,  observar  atentamente os  detalhes e  experimentos  da
linguagem não verbal nO LIVRO AZUL desperta a sensibilidade, e ainda, desenvolve 
o prazer estético do leitor.


Os versos de LILIAN JACOTO  têm o  mesmo peso  que  as ilustrações de ISABELLA
LOTUFO, ao exaltar a Beleza, com um olhar 'azul', provocar e dar asas à  imaginação
do  leitor.  A  partir  do  que  ele  lê  e vê,  pode dispor  de novos sentidos  e imagens, construindo, assim, outras leituras.



AS ILUSTRAÇÕES:
                                             CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA 



    
                                         CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA

 
AS AUTORAS:

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

TANTO MAR de TATIANA SALEM LEVY e ANDRÉS SANDOVAL (SELO GALERINHA DA EDITORA RECORD)


DÊ LIVROS DE PRESENTE!

SITE DA EDITORA: http://www.record.com.br    

INDICAÇÃO: a partir de 8 anos (leitor em processo)

40 PÁGINAS

PRÊMIO: Melhor livro infantojuvenil 2014 - ACADEMIA BRASILEIRA DO LIVRO
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

                      "Era uma vez uma ilha muito distante, tão distante que  nem
                        tinha nome. As poucas pessoas que moravam lá chamavam
                        a ilha de ilha. Nela, não havia luz elétrica, televisão,  celular,
                        nem internet. Mas  havia  dunas  de areia, coco,  caranguejo
                        e  guará-vermelho.  Havia   silêncio  e crianças  pra  brincar
                        de pique-pega.

       
                       Uma dessas crianças se chamava Thaís.”





A história  da menina  Thaís  começa assim, como tantas outras,  com  o   ERA  UMA
VEZ...   A menina  Thaís vivia  com seus   pais  em  uma ilha distante, que nem  nome
tinha.  Era ilha apenas. Dunas  de areia, coco,  caranguejo, guará- vermelho, silèncio,
crianças brincando...compunham a paisagem.  Fora isto,  nada havia de interessante
por  lá.  A  diversão  de  Thaís  era  catar  tudo  o que  o  mar  trazia  em  suas  ondas: conchas,  estrelas-do-mar, cavalos-marinho, sapatos furados, latas  de refrigerante...
o que a menina catava, guardava em seu quarto. Dormia numa  rede, lá no alto, para
não esbarrar  nas  coisas que  se acumulavam.   A mãe  da menina vivia reclamando
mas Thaís, como se estivesse embaixo d’ água, não ouvia.

O mar e Thaís, Thaís e  o mar. Naquele tempo o mar lhe bastava. Quando alguém lhe
perguntava o que queria ser quando crescesse, dizia: quero ser mar.

Um dia, o pai de Thaís saiu de madrugada para pescar. No caminho, se ’encantou’ e
nunca  mais  voltou. A tristeza foi morar nos olhos da menina Thaís.

Thaís passou a imaginar, em segredo, que um dia,  as ondas trariam seu pai de volta,
mas isto nunca aconteceu.

O tempo passou e a ilha ficou diferente com a  chegada da  televisão. Thaís, também,
se transformou e passou a enxergar o mundo de outra maneira. A ilha, agora, não lhe bastava. 

Entre o perto e o longe, Thaís optou pelo longe e ganhou o mundo.



ILUSTRAÇÕES: 
  
Com traços marcantes, o artista plástico  ANDRÉS  SANDOVAL  ilustra  a história TANTO
MAR, escrita por TATIANA SALEM LEVY.

O artista,  para realizar seu trabalho, utilizou lápis dermatográfico, usado  para  desenhar,
mas que foi desenvolvido basicamente para uso industrial,  em marcações de peças, pois
pode ser apagado e apontado com facilidade. Além deste material, usou spray e colagem
sobre papel cartão.
                                 
Segundo  ANDRÉS  SANDOVAL,  a intenção foi apresentar  o ‘texto  visual’ como se
fosse  a  própria  visão  da  menina  Thaís.  Em  oito  páginas  do  livro,  o leitor  e  a personagem  Thaís verão o mar enquadrado na tela da TV. (Ver imagem abaixo)

Na leitura das  imagens, o  leitor vai poder observar,  na  parte final da  história, que  
horizonte aparece  em páginas do livro, assim  como, também, na vida da  menina 
Thaís. 



                                               CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA



CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA





AUTORES: 
                                            CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

AMARRA MEU CADARÇO? de JOÃO MARCOS ( SELO A SEMENTE da EDITORA ABACATTE)


DÊ LIVROS DE PRESENTE!

                             SITE DA EDITORA: http://www.abacatteeditorial.com.br

INDICAÇÃO:  de 4 a 5 anos e 11 meses (PRÉ-LEITOR)

24 PÁGINAS

LIVRO SELECIONADO PARA O PNLD LITERÁRIO 2018

=================================

                             QUEM PODERIA AJUDAR O MENDÊ?


                                    -TELÚRIA, POR FAVOR, AMARRA MEU CADARÇO?

                                    - CONSEGUIU? 

                                        - XIII...É MUITO DIFÍCIL!

                                     - E AGORA? QUEM VAI ME AJUDAR?

                                     - VEM AQUI, MENDÊ!

                                     
                               TELÚRIA TEVE UMA IDEIA.

                                       - ISSO PODE AJUDAR VOCÊ!

                                       - NOSSA CAIXA DE BRINQUEDOS!

                                       - VAMOS PEDIR AJUDA AOS BRINQUEDOS!

                                       - BOA IDEIA, TELÚRIA!


Mendelévio e Telúria são dois irmãos que disputam tudo. Mas,  na  história em
quadrinhos deste  livro para  pequenos  leitores,  Mendê  e  Telúria  estão  com
um  problema e tentam resolvê-lo juntos.Os cadarços  dos sapatos  de  Mendê
estão desamarrados e eles não sabem como amarrá-los. Telúria tem a  ideia de
pedir ajuda aos brinquedos. Falam com o  dinossauro, com  o palhaço,  com  a
girafa,  com   a   bola  e  com  a  boneca   de  Telúria.  Por  vários  motivos,  não
conseguem ajuda dos brinquedos. E agora? Como Mendê e Telúria  resolverão
este pequeno grande problema?


O livro  AMARRA  MEU  CADARÇO? fala direto ao coração de uma criança. Ela
ao  perceber  afinidades  com os personagens, se  reconhecerá  em  situações
idênticas. 

JOÃO  MARCOS ao abordar uma situação cotidiana,  com vocabulário  simples,
convida o pequeno leitor a  mergulhar  também  no mundo  da  imaginação  e a
buscar uma solução para o problema.


ILUSTRAÇÕES:

                                           CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA



No traço de João Marcos, vibram as cores nos quadrinhos que contam a história,
criando uma empatia com os pequenos leitores de forma imediata. O resultado é
um livro alegre, com personagens expressivos, bem ao gosto da criançada.


O AUTOR:

VOCÊ ESTÁ CONVIDADO! LANÇAMENTOS DO LIVRO INFANTIL: MÃE SEREIA de TERESA CÁRDENAS e VANINA STARKOFF (EDITORA PALLAS)

   
DÊ LIVROS DE PRESENTE!




LANÇAMENTO DO LIVRO MÃE SEREIA 
autora:TERESA CÁRDENAS
ilustradora: VANINA STARKOFF
editora: PALLAS (SELO MINI PALLAS)
32 PÁGINAS

LANÇAMENTO 1:No DIA 5 de DEZEMBRO de 2018 (Quarta- Feira), às 16 horas 
                                         VOCÊ ESTÁ CONVIDADO!

INSTITUTO ESTAÇÃO DAS LETRAS
RUA MARQUÊS DE ABRANTES, 177 - LJ 107
FLAMENGO  - RIO DE JANEIRO / RJ
TELEFONE: (21) 3237-3947

==============================================
SOBRE O LIVRO
Mãe  Sereia   fala  da  travessia  do  primeiro  navio carregado de  escravos da
África  para  Cuba,  mas  poderia  ter  partido  para  qualquer  outro  país  onde houvesse escravidão. 
No  navio  estão  homens,   mulheres e  crianças de  diferentes  idades e todos
enfrentam  a   dura passagem  pelo   Atlântico,  o  mar desconhecido. Eles  não
estão   sozinhos,   Mãe   Sereia,   a  deusa   iorubá  dos   peixes  e  das  águas
salobras,   mergulhou   na    imensidão  das    ondas,  transformada    em   uma
enorme sereia anil, para seguir o navio através do oceano.
É  a   primeira   vez  que  o  livro  é publicado  fora  de Cuba. Teresa  Cárdenas
acredita que  Mãe  Sereia   é uma  narração  que ela devia a si  mesma, a  sua
ancestralidade.
“ Queria  contar  essa  história  para  as crianças  e  meu  compromisso  com a
memória  ditou o  texto.  Através  dos  olhos das personagens elas  poderão se
transportar  às  imagens  dos  incompreensíveis homens  brancos, barcos, mar,
morte e terra nova, explica.”
Para a autora, o livro aborda não apenas a questão da sobrevivência daqueles
que  foram arrancados da África, mas também a  transferência  de sua  cultura
através da oralidade e  a relação com  as tradições religiosas. “Ao final,  quase 
é  dito   que as  palavras  têm  mais  poder do que a vida e a morte juntas. E  é 
verdade, eu acho.”
 ==============================================
TERESA CÁRDENAS - escritora
é uma  escritora,  roteirista, atriz,  bailarina  e ativista  social cubana. Sua
motivação  para   tornar- se   escritora  veio  ainda   na  infância,  quando
começou  a ler  e ficou  frustrada com a ausência de personagens negras
nos livros infantis.

Teresa Cárdenas tem uma escrita humana e delicada e recebeu inúmeros
prêmios  que  a  credenciam  como  uma  das  vozes  mais  relevantes da
literatura para crianças jovens em Cuba, entre  eles  o Prêmio  Nacional
de Crítica  Literária.  A autora  ganhou  o  Prêmio  Casa  de  las  Américas
de  2005  com  o romance  Perro Viejo (Cachorro Velho). 

Sua  obra  foi estudada  para ensaios  literários  e  teses  universitárias em
Cuba, Estados Unidos, Colômbia, Venezuela e Brasil. 

Teresa  Cárdenas  nasceu  em   Matanzas  (Cuba),  em  1970,  e mora  em
Havana  com seus  três filhos. 

No Brasil, publicou dois romances  juvenis Cartas para minha  mãe  e Cachorro 
Velho, ambos pela Pallas  Editora. 

Mãe Sereia é o primeiro infantil de Teresa Cárdenas editado pelo selo Pallas
Mini.

VANINA STARKOFF - ilustradora
nasceu em Buenos Aires, Argentina, onde se formou como designer gráfica na Universidade  de Buenos  Aires e mora no Brasil, desde  2014. O caminho do
coração a levou à descoberta do  mundo das imagens dos livros para crianças.

É apaixonada pelas cores e paisagens que sempre pintou  e, em  busca de seu
grande amor, vive em Búzios, uma cidade praiana no Rio de Janeiro. 

Tem  vinte  livros   publicados  em  diversos  países:  Brasil,  Argentina,  México,
Canadá, Portugal, Espanha, França, Itália, Inglaterra, Coréia do Sul e Emirados
Árabes.  

Mãe Sereia  é seu  segundo livro pela Pallas Míni, o primeiro sendo Pelo Rio.
==============================================
==============================================

LANÇAMENTO 2:
No  dia 9 de dezembro de 2018, (domingo), às 16 horas,
o lançamento acontecerá na  LIVRARIA DA TRAVESSA 
rua Voluntários da Pátria, 97- Botafogo - Rio de Janeiro /
RJ.                                        VOCÊ ESTÁ CONVIDADO!



sexta-feira, 30 de novembro de 2018

AFRICONTOS COM A CIA MAPINGUARY NA LIVRARIA NOVE SETE (SÃO PAULO)



PROGRAMAÇÃO:

AFRICONTOS com a Cia Mapinguary

Ao som do tambor, as seguintes histórias africanas serão contadas:

- JESUÍNA E A CABAÇA ENCANTADA - uma lenda afro-brasileira de como
  surgiu o berimbau;
- A LENDA DO TAMBOR AFRICANO - conto popular da Guiné-Bissau;
- BOJABI E A ÁRVORE MÁGICA - narra a história de uma misteriosa árvore;
- ANANSE E O POTE DA SABEDORIA

Ao final, apresentação do boneco Chibamba
==================================================================
NARRADOR: Carlos Godoy
MÚSICOS: Gelson dos Santos e Giuliano del Sole

duração:50 minutos
classificação: LIVRE
===============================================================


quarta-feira, 28 de novembro de 2018

LANÇAMENTO DA EDITORA IMPERIAL NOVO MILÊNIO: UM PRA CADA LADO de LUCIANA RIGUEIRA e ELISABETH TEIXEIRA



DÊ LIVROS DE PRESENTE!


                                 SITE DA EDITORA: https://www.imperiallivros.com.br


INDICAÇÃO: a partir de 6 anos (leitor iniciante)

32 PÁGINAS 


===============================================

                                 "Mamãe é só chorando...
                                Papai triste de dar dó.
                                Nosso laço se soltando
                                e eu tentando dar um nó.

                                Nossa casa estava ficando torta
                                e eu, com minha maleta de consertar,
                                martelando um coração na porta
                                e arrastando a mala pra serrar.

                               Os sapatos do papai eu queria arrumar,
                               as contas da mamãe eu queria organizar,
                               a louça pro papai eu queria lavar...
                               E queria que os dois parassem  de gritar."



Assim começa  a história  deste  livro de  LUCIANA RIGUEIRA.  Os versos revelam
que o casamento  dos pais  de um  menino  está  por  um  fio,  prestes  a romper. O
menino, triste com os gritos e brigas dos pais, tenta imaginar  maneiras de  uni-los
de novo. As tentativas acontecem só mesmo na sua imaginação. Que bom seria se
eles voltassem a namorar! Os  dias passam e a separação  acontece. Cada  um  foi 
para um lado. Mas o menino  acaba fazendo uma descoberta que lhe  trouxe  muita
felicidade. O que parecia  algo terrível, aconteceu de uma  forma  não  tão dolorosa
assim. 
Que descoberta foi essa? O que aconteceu?



AS ILUSTRAÇÕES:


As ilustrações aquareladas, em tons pastéis de ELISABETH TEIXEIRA imprimem
uma  atmosfera de delicadeza  ao livro e deixa o  tema 'pesado' da  história  ficar
muito mais leve.




AS AUTORAS: