domingo, 3 de maio de 2015

A MENINA DAS DESCULPAS ESFARRAPADAS e O MENINO APRESSADO DE WALTHER MOREIRA SANTOS (EDITORA LÊ)

                                            SITE DA EDITORA: www.le.com.br

INDICAÇÃO: a partir de 8 anos (leitor em processo)

24 páginas

                 "Havia uma  sala de aula  e,  dentro da  sala,  havia  uma  menina.
                 E  uma porção  de  colegas  de  classe,  mas   para  essa  menina 
                 era  como se houvesse  apenas um  menino;  um  menino calado,
                 que sentava na primeira fila, bem perto da porta.

                 Ele   nunca  se  apresentava  para  responder a  uma pergunta da
                 professora.  A  menina não  achava  que  ele  não  respondia  por
                 ser   burro,  porque   anda   em   capa   de   letrado   muito   burro
                 disfarçado;  e   antes  calar   do  que  mal   falar.   Além   do  mais, 
                 mesmo que ele fosse muito burro,  mais vale  um burro  vivo que
                 um sábio morto.

                 Mal a aula chegava ao fim, ele ia embora, sem falar com ninguém,
                 sempre apressado.

                 O menino  era  novo  na escola,  mas não só  por isto ele logo era
                 notado.  Porque em  vez de  boné,  como todos os outros garotos,
                 ele usava chapéu de couro; e no lugar do  tênis, usava  um par de 
                 botas de caubói. Suas  camisas  eram  xadrez, pareciam  feitas de 
                 sobras de toalhas de mesa. E todo esse mistério só  fazia crescer
                 a curiosidade da menina."

Assim começa a história do encontro da  menina Edith  com o  menino Severino, seu
colega de classe.

Por timidez e por ter receio de ser rejeitado, Severino  não conversava com ninguém.
Ao final da aula, saía sempre apressado. Edith  queria  muito  fazer amizade com ele
e  teve  a  ideia de  deixar um  bilhete na carteira  do menino. Ele  respondeu usando 
poucas  palavras  e quis saber  por  que motivo  ela não  assinara o bilhete. Severino
deixou  a  sua resposta ali  mesmo  na carteira, para que Edith  procurasse  o bilhete
depois da aula. 

Outros bilhetes vieram e  algumas desculpas esfarrapadas  também. Edith costumava
sempre  reafirmar suas  ideias usando  ditados  populares  em  seus recadinhos  para 
Severino: "Quem tem boca vai a Roma, mas quem não  fala, poucos amigos faz."
"Contra a má sorte, o jeito é ter um coração forte."  

Os recados de  Edith, repletos de ditados populares, sempre serviram para  encorajar
Severino e também, para  aproximá-los. Então, foi assim que nasceu a amizade entre
os dois personagens. Foi assim que eles começaram a se entender. 



Num  texto  cheio  de  belezuras, a  caracterização  dos personagens,  certamente, irá
chamar a atenção do leitor. Um  outro detalhe que fisgará o  leitor será a maneira como
Edith e Severino seguiram trocando  bilhetes e  fortalecendo  aquela  amizade, fora  da
sala de aula.



O escritor WALTHER MOREIRA SANTOS propõe, com o livro A Menina das Desculpas Esfarrapadas  e o  Menino Apressado, mostrar uma interessante história  de amizade  de
infância reserva, para seus leitores, uma surpresa, no final do livro. 

Que surpresa será esta? Como irá terminar a história de  Edith e Severino? 


AS ILUSTRAÇÕES:



WALTHER MOREIRA SANTOS, com muita criatividade, fez uso de tinta acrílica, 
colagens de recortes de tecido e  de papel, bordados e rendas, fios... para contar
a história de amizade de Edith e Severino.




O AUTOR:


Um comentário:

Letras Jk 2013 disse...

História magnífica, não conhecia esse autor e realmente me surpreendeu.
Super indico, pois se trata de uma leitura rápida, dinâmica e surpreendente.